“O que se passou entre nós (eu EJ e o CFK) foi rap”

7
4374
Edson dos Anjos

O nosso entrevistado, é sem dúvidas dos maiores nomes da auto denominada “NOVA ESCOLA” do rap angolano; Vive em Cambridge, Inglaterra onde na universidade frequenta o curso de engenharia civil; em entrevista a BWÉVIP (BV), o integrante do grupo de rap TRX, Edson dos Anjos(EJ) que a 05 de Maio completa 20 anos, mais que confessar que precisa aprender a gerir o tempo e que admira o Big Nelo pelo percurso artístico, abriu o livro, mostrou que é muito mais que um menino rico e mimado… É um jovem com ambições e planos para o futuro.

Perfil

Nome ?
Edson dos Anjos

Nível académico? Curso?

Universidade á seguir engenharia civil.

Signo?

Touro.

Prato preferido?

Não tenho um preferido, gosto de comer.

Inspiração?

EJ: O mundo (risos).

 Ídolo?

EJ: Tenho alguns.

 Paixão?

EJ: A vida é a minha maior paixão.

BV- Pessoa que mais admira? Porquê?

EJ: Admiro muito os meus pais, talvez porque acompanho muita coisa de perto.

 BV- Por quem daria a vida?

EJ: Pela minha mãe, sem pensar duas vezes.

 BV- Medo?

EJ: Perder a minha família ou deixar de andar.

 BV- Sonho?

EJ: (risos) O meu maior sonho é realizar os meus sonhos.

 BV- Virtude?

EJ: Considero-me uma pessoa real.

BV- Defeito?

EJ: Pouca paciência e também preciso aprender a gerir melhor o meu tempo.

 BV- Maior Conquista?

EJ: Notar que evoluo a cada ano que passa.

BV- Maior decepção?

EJ: Certas amizades.

BV- Maior lição?

EJ: O acidente. Comecei a valorizar mais certas coisas depois do acidente que tive.

 BV- Ambição?

EJ: Conseguir ser um senhor que mantem a família confortável financeiramente e ao mesmo tempo consegue manter a família sempre unida e próxima.

EJ

Pessoa

BV- Quem é o Edson dos Anjos?

EJ: O Edson é um estudante de Engenharia que cria hip-hop nos seus tempos livres.

BV- O que mais gosta no mundo?

EJ: Há sempre algo novo por descobrir no mundo, é fantástico.

BV- O que mais detesta no mundo?

EJ: O que mais detesto no mundo… o Facto de Falsidade ser algo “normal” hoje em dia.

BV- Qual foi a maior asneira (besteira) que já fez?

EJ: (risos) Pelo menos aprendi com elas e isso é que importa.

 BV- Se fosse possível ser identificado por uma palavra, qual seria?

EJ: Edson (risos).

BV- O que mais gosta nas pessoas?

EJ: O facto de que as pessoas podem surpreender-nos muito.

BV- O que mais detesta nas pessoas?

EJ: O facto de que as pessoas podem surpreender-nos muito.

BV- Qual foi o maior ato de coragem?

EJ: Envolve outros nomes, por isso não posso comentar sobre o assunto.

BV- Coisa que pensou que nunca faria e fez… O quê? Por quem?

EJ: Quando era mais novo, nunca pensei que fosse viver como tenho vivido.

BV- Diz-se que tal como os outros integrantes do grupo TRX, você é uma pessoa mimada e que nunca teve de enfrentar dificuldades. Como encara isso?

EJ: É uma pergunta persistente, terá uma resposta longa. Entendo quando as pessoas que não nos conhecem acham isso, principalmente as pessoas que só ouvem algumas músicas da TRX e não acompanham o grupo. É verdade que nunca passei dificuldades, mas é como tudo, o “bottom” é algo relativo, alguém do hood pode achar que vive no bottom mas há crianças na Somália que vivem pior. Não me considero uma pessoa mimada, tive uma boa educação em casa e acho que não iria encarar o mundo da mesma forma se fosse mimado. Queria também aproveitar para dizer que a mensagem que a TRX transmite não é negativa, incentivamos a valorizarem mais as famílias e amigos, não pararem de estudar, a manterem sempre o foco num futuro melhor, que lutem para alcançar os seus objetivo, mas que ao mesmo tempo se divirtam e vivam a vida que sempre quiseram. (risos)

BV- Fala muito de estudar e conquistar o que é seu nas suas músicas, há algo em especial que gostaria de conquistar por conta própria? Sente que o que é do seu pai, da sua família não é seu?

EJ: Sim gostaria de ter a minha própria empresa de construção civil e depois de algum tempo inventar uma aplicação revolucionaria. Lá em casa sempre aprendemos que o que é da família, é da família e o que é teu, é teu. (risos).

BV- Acha-se rebelde?

EJ: Não.

EJ2

 

 

 Música

BV- Quando se descobriu como artista?

EJ: Para falar a verdade, não lembro.

BV- Qual foi/é a maior dificuldade no mundo da música?

EJ: Eu não penso no “mundo da música” então não tenho como responder.

BV- Como a família encara a sua carreira musical?

EJ: A família encara da mesma maneira que encaro, olham para a música como uma forma produtiva que encontrei para fazer o que gosto, mas também sabem que não tenciono levar uma carreira musical. Tenciono alcançar outros objetivos, acho engraçado quando a família dança a ouvir as minhas músicas. (risos)

 BV- Música, hobby ou profissão? Porquê?

EJ: Hobby, como respondi na pergunta anterior.

BV- Sente-se um artista? Porquê?

EJ: Sinto que sou um artista sim. Acho que consigo olhar para as coisas de outra maneira, notar coisas que outras pessoas não conseguem, no que diz respeito a música, é difícil explicar como as letras vêm tão facilmente á cabeça quando o instrumental certo toca. É como se alguém estivesse a dizer-me o que escrever, é algo louco (risos).

BV- Inspiração para as músicas?

EJ: Tudo a volta pode inspirar, depende do momento.

 BV- Quem é o melhor rapper da nova escola?

EJ: (Risos) Os meus fãs e uns tantos veteranos do game dizem que sou eu. Mas na minha humilde opinião é o Emana Cheezy, acho que ele consegue fazer qualquer estilo sem perder a sua essência, consegue fazer músicas românticas em abundancia mas também consegue ser agressivo e cuspir barras pesadas ao mesmo tempo e também em abundancia, consegue dar punchlines com notas altas e não parece ser algo esforçado. Isso é algo que só ele consegue fazer de momento.

BV- Será que um dia vamos poder ouvir Edson dos Anjos e Délcio Dólar na mesma música? Se não, porquê?

EJ: Nunca digas nunca.

 BV- O que se passa/passou entre você(Edson dos Anjos) e o rapper 13Horas? está resolvido? Como foi resolvido?

EJ: (risos) foi uma fase divertida que dava para rir e brincar na hora de escrever os versos. Sempre achei muito engraçado ele lançar beefs, mas, nunca tive, nem tenho nenhum problema pessoal com ele. Nem nos conhecemos.

BV- Fala-se muito que os membros do grupo TRX não levam a música a sério, verdade? Porquê?

EJ: Não diria que não levamos a sério, nós gostamos de ouvir boa música então nos preocupamos na hora da criação. O que posso dizer é que nenhum membro tenciona ter uma carreira musical, alguns querem ser empresários, outros engenheiros, outros querem ser economistas, políticos, tropas e mais algumas coisas.

BV- Diz-se que o rapper Reptile é o ”padrinho” da TRX, verdade? Qual a relação com o Reptile?

EJ: O Reptile sempre foi um dos poucos “kotas” que não escondeu que gostava da TRX e nós respeitamos muito o Tile por isso.

BV- Qual a relação entre a TRX e a PIRILINE?

EJ: É boa, um shout out para o Rescova já agora.

BV- Qual o problema entre a TRX e o grupo Millionair Boys? Qual o problema com o Délcio Dolar, uma vez que ele fala com o Adi Bochecha, inclusive aparecem em fotos juntos?

EJ: Todos amigos têm amigos diferentes.

BV- Fala-se muito que os membros do grupo TRX vão parar de cantar. Verdade? Se sim, quanto tempo até pararem?

EJ: Tudo indica que sim, vamos parar quando deixar de ser divertido.

BV- Qual o problema entre a TRX e o grupo FLAVASAVA?

EJ: Eles têm um problema connosco, nós não temos nenhum problema com eles, eles são totalmente irrelevantes para nós.

BV- Têm um histórico de faltar aos shows. O que leva a simplesmente faltarem aos shows?

EJ: (risos) A TRX não falha em shows, o que acontece é que fazem muita publicidade da TRX sem sequer negociarem com a TRX, nós não temos como controlar, são publicidades enganosas. Pode também ter acontecido alguma vez por falta de seriedade dos organizadores, os contratos com a TRX têm condições especificas e também têm um preço que alguns consideram alto, mas nós não vamos atrás de organizadores, são eles que fornecem os contratos então devem cumprir. Claro que nos sentimos mal pelas pessoas que vão para lá só por causa da TRX, mas se nós não nos respeitarmos, ninguém vai.

BV- Fala-se muito sobre o facto de a TRX já ter assinado para uma label, verdade? Se sim, qual?

EJ: já Recebemos algumas ofertas, mas decidimos não assinar.

BV- Rapper angolano que mais respeita? Porquê?

EJ: O rapper angolano que mais respeito é o Kota Big Nelo, porque muitos chegaram, encontraram o Big Nelo, foram e o Big ainda continua. É muito raro alguém manter uma carreira repleta de sucessos por tanto tempo, ele é o jigga da banda. (risos)

BV- Nas suas músicas, fala muito de vida de luxo e mulhers, vive o que canta?

EJ: Infelizmente vivo o que canto (risos).

BV- Fala-se muito do facto de o seu pai não gostar de o ver ligado a música. Isto motivou a sua saída para o estrangeiro? Como faz para ter uma boa relação com o pai e seguir cantando?

EJ: O meu pai não tem problema nenhum com isso, encoraja-me a cantar e fazer sempre o que gosto, mas sem perder o foco do Objetivo principal claro. Vim para o estrangeiro para continuar os meus estudos, nada mais. (risos)

BV- Maior ambição no mundo da música?

EJ: Marcar esta geração que nos acompanha de tão perto. Isso será motivação, se consigo marcar uma geração com algo que faço nos tempos livres, imagina o que consigo alcançar no ramo que realmente tenciono seguir.

BV- O que se passa/passou entre você(EJ) e o rapper CFK? Está resolvido? Como foi resolvido?

EJ: Eu só respondo beefs de rappers que considero bons no que fazem, mas mesmo assim não acho nenhum deles melhor do que eu, assim como eles também devem ter as suas duvidas. O que se passou entre nós foi rap, não há palavra melhor para descrever. Ele achava que era melhor do que nós e nós achámos que somos melhores do que ele, então batalhamos com boas líricas dos dois lados e tiramos as nossas duvidas. De certeza que ele ganhou mais respeito por nós e nós por ele.

Mas a relação é boa e provavelmente vamos trabalhar em algo grande juntos num futuro próximo. Noticia inédita. (risos)

7 COMENTÁRIOS

DEIXA UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here